SISMMAR RECORRE AO TRIBUNAL PARA GARANTIR REPASSE A CAPSEMA

A Juíza Carmem Ramajo negou o pedido de cautelar do SISMMAR pela volta do repasse a CAPSEMA. A decisão, em primeira instância, já era esperada pela entidade. A Juíza alegou querer ouvir inicialmente a prefeitura para depois tomar uma decisão. O SISMMAR irá recorrer ao Tribunal de Justiça, através de agravo de instrumento. Afinal, entende que o prefeito descumpriu lei municipal ainda em vigor, causando deliberadamente e de forma ilegal, prejuízo aos servidores e suas famílias. Por outro lado, o Ministério Público acatou o pedido de providências em relação a atitude do prefeito e abriu inquérito civil para apurar ato de improbidade administrativa.

Somente para fazer constar, a Juíza Carmem Lúcia é a mesma que autorizou a desocupação do paço, com uso de força policial, durante a greve dos servidores, e é responsável pelos processos da greve, em que a prefeitura pleiteia a condenação do SISMMAR a elevadas multas pelo exercício de um direito democrático.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 × 2 =