Ações da administração colocam servidores em situação delicada

O corte de pelo menos 20 árvores frutíferas na Zona Norte de Maringá ganhou destaque na edição de terça-feira (29), do Jornal O Diário. A ação foi executada por servidores municipais, atendendo solicitação da chefia, no caso, o secretário de Serviços Públicos, Vagner Mússio. A ação da SEMUSP revoltou moradores que não queriam o corte das árvores e afirmaram à reportagem não concordar com o corte.
Por outro lado o secretário Vagner Mússio justificou que a responsabilidade, caso ocorra a queda de frutos, pode ser da prefeitura. No entanto, até onde o SISMMAR tem conhecimento, não existe nenhum estudo que justifique a erradicação das árvores frutíferas naquela região.
Este é uma das ações decididas por secretários e diretores de secretarias, ambos cargos comissionados da administração Silvio Barros II, que o SISMMAR lamenta profundamente por ser contrário aos anseios da própria comunidade e principalmente por colocar os servidores, que estão cumprindo a sua obrigação, numa situação delicada junto à população.
A mesma administração que manda os servidores realizarem esse papel lamentável se contradiz e também manda plantar árvores frutíferas em outras regiões da cidade, como em uma praça do Parque Avenida. Veja o que diz o material distribuído pela prefeitura:

No projeto paisagístico elaborado pela Gerência de Paisagem Urbana da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Planejamento e Habitação consta a construção de calçada ecológica em torno da área e o plantio de flores e árvores frutíferas, realizado por equipes da Secretaria do Meio Ambiente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 × 1 =