ASSEMBLÉIA RETOMA CAMPANHA SALARIAL

No dia 07 de outubro de 2006, os servidores públicos municipais realizaram assembléia para retomar a campanha salarial. Até o momento, o prefeito não apresentou nenhuma proposta para atendimento das reivindicações da categoria. Os servidores pedem 16.67% de reajuste (referente a reposição de 2005 + reajuste salarial); pagamento da progressão funcional, implementação da revisão do Plano de Carreira Cargos e Salários (PCCS) e fim da perseguições.

Assembléia decide participar da reunião com Prefeito, mas Administração desmarca na última hora
A assembléia discutiu e aprovou consensualmente a participação da presidente do sindicato na reunião convocada pela Administração Municipal para o dia 09.10.06 às 17:00h, cuja pauta era: criminalização do sindicato e perseguições. Mesmo antes da assembléia, a presidente do SISMMAR enviou ofício ao Exmo Sr. Prefeito, solicitando que na referida reunião também fosse apresentada proposta para pagamento do reajuste e da progressão, assim como, a implementação da revisão do PCCS.

Num ato claro de desrespeito a categoria, o prefeito desmarcou a reunião, que iria discutir temas de interesse da categoria. Ficou assim, mais uma vez, a evidência clara de que o sindicato sempre esteve disposto ao diálogo, bem como a falta de sensibilidade e comprometimento com o que vem ocorrendo com o funcionalismo municipal.

É hora de nos organizarmos
Durante a assembléia, os servidores também fizeram um balanço da mais longa greve da histórica do serviço municipal de Maringá e concluíram que valeu a pena “Depois da greve ficamos mais unidos. Em meu local de trabalho somos 32 servidores. Se houver outra greve, participaremos novamente. Inclusive aqueles que não aderiram, em uma próxima luta irão aderir”, disse uma servidora durante a assembléia.

Os presentes foram unânimes em expressar que a luta é permanente e obedece a um processo. Os frutos de nossa luta não são para o presente, mas para mudar o amanhã, por isso nunca poderemos desistir. É preciso que a classe trabalhadora se forme e se prepare para novos conflitos. Principalmente, porque ganhando Lula ou Alckmin, a Reforma Sindical e Trabalhista será colocada em votação. Aí, vamos precisar de todos os trabalhadores unidos para derrubar esse projeto Neoliberal.

A missão do sindicato, de agora em diante, será investir em formação e organização da categoria. Teremos que nos fortalecer para criar correlação de forças e impor nossos direitos. Contamos com todos para que nos ajudem nessa tarefa, organizando a OLT (Organização por Local de Trabalho), participando das reuniões e convidando seu companheiro de trabalho a se associar ao sindicato. Somente com a união, poderemos conquistar nossas bandeiras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

14 − 1 =