SISMMAR SE REÚNE COM SECRETÁRIO DE SERVIÇOS PÚBLICOS E PROPÕE A SUSPENSÃO DA PRIVATIZAÇÃO DA COLETA

Na manhã de 10 de novembro de 2006, a presidente do SISMMAR reuniu-se com o Secretário de Serviços Públicos, Diniz Afonso, com o gerente da Coleta de Lixo, Guilherme Furlaneto, com o Diretor da Secretaria de Serviços Públicos, Santos Soares, e com o procurador Jurídico da SMSP para tratar da privatização da coleta de lixo.

A presidente do Sindicato, Ana Pagamunici, apresentou as propostas dos Servidores, votadas na assembléia do dia 08.11.06, e solicitou que o edital de contratação da empresa, cuja abertura dos envelopes está previsto para 16.11.06, seja suspenso para se abrir um processo de diálogo com os servidores e a sociedade.

Além disso, foi apresentada proposta de investimento do dinheiro que seria destinado a privatização no conserto dos caminhões e na valorização do servidor, através de melhores equipamentos de trabalho e de segurança.

A respeito da terceirização/privatização, o Secretário informou que é uma medida do gabinete e que será implementada, pois segundo os representantes da Secretaria seria a melhor forma de melhorar a coleta de lixo em Maringá. O SISMMAR vê que a melhor saída é manter o que é público sobre o domínio público, pois ganha a população e os servidores. Não há consenso entre sindicato e prefeitura nesse sentido. Ao contrário do que dizia o prefeito em campanha, que não iria privatizar nenhum setor público, parece que a privatização irá acontecer de fato.

Sobre o conserto dos caminhões e o processo de sucateamento da frota, os representantes da Secretaria alegaram que o trabalho é muito intenso, o desgaste grande e não há como fazer a mecânica preventiva dos caminhões, o que acaba provocando maiores prejuízos aos veículos. A respeito de caminhões novos paralisados, a Secretaria informou que a burocracia para se comprar peças é muito grande e o processo é lento. O SISMMAR argumentou que o processo de sucateamento é provocado justamente para justificar a privatização, mesmo porque há 8 caminhões novos, com menos de 6 anos de uso num total de 15 caminhões que compõem a frota.

Sobre os equipamentos de trabalho, os representantes concordaram na necessidade de comprar e melhorar o uniforme dos coletores, o que segundo eles já está sendo encaminhado. O SISMMAR continuará cobrando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um × cinco =