Constrangimento de servidores

Os (as) servidores (as) da Educação retomaram as atividades nesta semana com atividades pedagógicas promovidas pela Secretaria da Educação. Essas ações tem ocorrido em locais particulares sendo que a prefeitura dispõe de espaços públicos que atendam esse fim. O SISMMAR questiona, entre outras coisas, que a utilização de igrejas, sejam elas de qualquer crença, colocam os servidores em situação delicada.
Não concordamos com tal atitude da adminstração e ainda lamentamos que os trabalhadores tenham que passar por situações, para alguns constrangedoras, já que não comungam da mesma prática e teoria.Entendemos que a opção religiosa de cada um deve ser respeitada, principalmente na Educação, dando exemplo para que os educadores também respeitem a diversidade religiosa que vão encontrar numa sala de aula.
O governo Silvio Barros II (PP), tem o dever de respeitar a opção religiosa dos trabalhadores. Não é porque o prefeito e a secretária da Educação são de determinada igreja que todos(as) os (as) trabalhadores (as) devem seguir o mesmo caminho.
O SISMMAR defende o direito a liberdade de expressão, de crença reliogiosa e luta desde sua fundação por uma Educação laica que leve em consideração a diversidade e os princípios de cada um.
Será que eles se sentiriam a vontade para rezar uma Ave Maria? Ou participar de uma palestra de cunho espírita???? Ficam as interrogações e a solicitação que nos próximos encontros usemos o teatro Calill Hadad, o antigo Cine Plaza e outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezesseis − 1 =